HISTÓRIA

No final dos anos 90, um grupo de professores da Associação Gaúcha de Professores Técnicos de Ensino Agrícola (AGPTEA), liderados pelos professores Heitor Tomé da Rosa e Fritz Roloff, e pelo Técnico Agrícola Hélio Musskopf, começaram a discutir um projeto de cooperativismo para as Escolas Técnicas Agrícolas. Iniciaram com palestras e cursos nas Escolas Agrícolas, principalmente as Estaduais, com o objetivo de criar cooperativas de alunos, motivados pela escassez de recursos públicos para gerir estas escolas. Neste contexto, no ano de 2002, o professor Fritz Roloff e o técnico agrícola Hélio Musskopf escreveram o livro “Cooperativismo – Um Rumo e Um Ideal”, da Coleção Letras da Terra, publicado pela AGPTEA.

Nessa trajetória, observaram que não só as escolas passavam por dificuldades econômicas, mas seus professores também sofriam com os baixos salários da categoria. E, além disso, constataram que os professores tinham dificuldades em gerir os escassos recursos das escolas, e alguns os seus próprios. Assim, em outubro de 2001, na Assembléia Geral Ordinária dos Professores de Ensino Agrícola, criou-se o Núcleo de Professores Pró-Cooperativismo de Crédito, em parceria com o Sistema de Crédito Cooperativo – Sicredi/RS. Esta assembléia teve a participação do Sr. Gilmar Dalla Roza, presidente do Sicredi Metrópolis, de Porto Alegre, que ministrou palestra sobre o Cooperativismo de Crédito. Sr. Dalla Roza, apresentou o Núcleo Pró-Cooperativismo de Crédito ao Sr. Cirillo Tomaz, presidente da CECRERS. Após estudos dos custos fixos e dos prós e contras da criação de uma Cooperativa de Crédito, o núcleo composto por 24 professores, todos sócios da AGPTEA constituíram, no dia 19 de julho de 2002, a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Professores da Região Metropolitana de Porto Alegre - EDUCREDI.

A homologação da cooperativa foi publicada em Diário Oficial da União em 17 de setembro de 2002. A primeira denominação da cooperativa foi “Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Professores da Região Metropolitana de Porto Alegre – EDUCREDI”. O capital social subscrito, na época, foi de R$ 10.250,00 (dez mil duzentos e cinquenta reais).

No ano de 2006, devido ao processo de solicitação de um código para desconto em folha, junto ao Tesouro do Estado, a cooperativa foi obrigada a incluir em sua denominação a palavra “Estaduais”. Fato que ocorreu na Assembléia Geral Extraordinária (AGE), na data de 24 de novembro de 2006, conforme registrado na ata nº. 060/2006. Após a homologação pelo BACEN passou a denominar-se “Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Professores Estaduais da Região Metropolitana de Porto Alegre”. A partir de janeiro de 2008 passa a operar com seu próprio canal de descontos, junto ao Tesouro do Estado.

Assim surgiu a EDUCREDI, hoje com 14 anos de atividade, em torno de 850 associados, patrimônio líquido de R$ 156.427,94 (cento e cinquenta e seis mil, quatrocentos e vinte e sete reais e noventa e quatro centavos) e capital social de R$ 370.162,50 (trezentos e setenta mil, cento e sessenta e dois reais e cinquenta centavos).

A sede da EDUCREDI situa-se na Avenida Getúlio Vargas, 283, Porto Alegre, RS, com foro jurídico nesta mesma cidade. Sua área de atuação compreende 31 municípios da região metropolitana de Porto Alegre (Porto Alegre, Viamão, Alvorada, Glorinha, Cachoeirinha, Esteio, Canoas, Sapucaia do Sul, Gravataí, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Campo Bom, Estância Velha, Guaíba, Nova Santa Rita, Eldorado do Sul, Nova Hartz, Dois Irmãos, Ivoti, Parobé, Portão, Triunfo, Sapiranga, Charqueadas, Araricá, Montenegro, Taquara, São Jerônimo, Santo Antônio da Patrulha, Arroio dos Ratos, Capela de Santana.). A cooperativa é filiada a Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul – OCERGS.

Chamar com Whatsapp